segunda-feira, 30 de outubro de 2017

O Dia das Bruxas ou HALLOWEEN é já amanhã, por isso preparem-se para a noite mais horrenda do ano!!

O Dia das Bruxas, ou Halloween, é celebrado anualmente na noite de 31 de outubro, sendo uma celebração pagã iniciada há mais de dois mil anos, uma vez que a sua origem remete para o povo celta, a propósito dos festejos no seu calendário a ver o fim do verão, o início do Ano Novo e as boas colheitas do ano, para a qual se denominava originalmente de Samhain, o “fim do verão“).



Mais tarde, no Reino Unido, a data passou a marcar o Dia de Todos os Santos, donde  surgiu o nome Halloween, em que o termo hallow significava “santo“, enquanto que eve queria dizer “véspera“.

E como em qualquer celebração, o Halloween implica festejar com os amigos, mas também muita diversão, nomeadamente no caso das crianças, em que normalmente costumam ir bater às portas dos vizinhos para fazer o peditório de doces sustentado com a célebre frase “Doce ou travessura?”. 



Por isso, sugiro preparem-se antecipamente, abastecendo-se de uma boa quantidade de doces, pastilhas, gomas, bolachas, chocolates, etc, ao mesmo tempo que reúnem o vosso grupo de amigos aí em casa e preparam em conjunto um jantar especial, recheado de fantasmas, abóboras, aranhas ou bruxas, começando por confecionar as sobremesas descritas abaixo, que ficam sempre bem, intituladas de farófias e bolo de cenoura!

Preparados então para comemorar o Dia das Bruxas?

RECEITA NA CATEGORIA DE SOBREMESA: Farófias (confecionadas na Bimby) 

Ingredientes:

  • canela em pó q. b.

Farófias:

  • 30 g açúcar
  • 6 claras de ovo
  • sal q. b.

Creme:

  • 6 gemas de ovo
  • 500 g leite
  • 70 g açúcar
  • 2 colheres de chá de açúcar baunilhado
  • 1 colher de chá amido de milho 

Confeção:

Farófias:
  1. colocar o açúcar no copo da Bimby e pulverizar 10 seg/Vel 9;
  2. introduzir a borboleta, para depois verter as claras, o sal, programando 6 min/70º C/Vel 3;
  3. dividir as claras em 6 porções, devendo colocá-las primeiro sobre papel de cozinha para eliminar o excesso de humidade e só depois nas respetivas taças individuais de servir;
Creme:
  1. introduzir a borboleta, para depois colocar todos os ingredientes e programar 8 Min/80ºC/Vel. 2;
  2. retirar a borboleta e bater 5 Seg/Vel 5, para depois retirar o preparado para uma taça e deixar arrefecer;
  3. servir as farófias regadas com o creme reservado e polvilhar com canela a gosto.
RECEITA NA CATEGORIA DE SOBREMESA: Bolo de Cenoura Recheado e Coberto com Creme de Ovo (confecionadas na Bimby)
Ingredientes:
  • 250 g cenoura
  • 4 ovos
  • 100 g óleo
  • 300 g açúcar
  • 200 g farinha
  • 1 colher sopa de fermento em pó
  • línguas de veado, canudinhos recheados com chocolate, fisális e fios de ovos q. b. de compra
Confeção:
  1. Colocar a cenoura no copo da Bimby e ralar 15 Seg/ Vel 9;
  2. Adicionar os ovos, o óleo e o açúcar, programando 1 Min/ Vel 6;
  3. Juntar a farinha e o fermento, marcando 15 Seg/ Vel 3;
  4. Colocar o preparado numa forma retangular de ir ao forno previamente untada com margarina e forrada com papel vegetal, de forma a ir ao forno a 180ºC, durante cerca de 40 minutos;
  5. depois da massa arrefecer, cortar em duas partes iguais, a fim de serem sobrepostas ao mesmo tempo que se coloca o tal creme de ovo entre elas, aproveitando para cobrir todo o bolo com o restante creme já no prato de servir;
  6. enfeitar o bolo com línguas de veado, canudinhos recheados com chocolate, fisális e fios de ovos, tal como se pode ver na imagem acima.

Já agora, por curiosidade, conhecem fisális?  
Physalis é uma fruta conhecida por purificar o sangue, fortalecer o sistema imunológico, aliviar dores de garganta e ajudar a diminuir as taxas de colesterol, pedindo a vossa atenção para o ler texto abaixo que fora retirado do site wikipédia:

Physalis é um género botânico pertencente à família Solanaceae. A Physalis angulata é uma planta herbácea de hábitos perenes e reproduzida por sementes. O género Physalis destaca-se, na família Solanaceae, por apresentar cálice frutífero acrescente, vesiculoso e intumescido, envolvendo completamente o fruto. Pode chegar aos dois metros de altura.

A Colômbia é o principal produtor mundial e abastece todo o mercado europeu, principalmente a Alemanha e Países Baixos.
A fisális é nativa das regiões temperadas, quentes e subtropicais de todo o mundo. O género é caracterizado por um fruto alaranjado e pequeno, semelhante em tamanho, forma e estrutura a um tomate, mas envolto parcial ou completamente por uma casca grande que deriva do verticilo.
A Physalis tem muitos nomes comuns por toda a lusofoniaː fisális, camapu, tomate-capucho, camaru, capota, bucho-de-rã, joá-de-capote, juá-de-capote, juá-roca, juá-poca, juapoca, mata-fome, camapum, bate-testa, saco-de-bode, erva-noiva, cerejas-de-judeu, balão, tomate-lagartixa, tomate-barrela e capucho.
Em Portugal, também é conhecido por alquequenge. Nos Açores e em Cabo Verde, também é conhecido por capucha. No sul de Angola, é chamado de matipatipa. 

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

MERCADO DOS VINHOS - Campo Pequeno (21 outubro 2017) - 2.ª PARTE

 
Em continuação do texto relativo à 1ª Parte do Mercado dos Vinhos no Campo Pequeno, o bilhete de entrada tinha um valor de 3€ sem copo e de 6€ com copo, tendo sido uma organização conjunta do Campo Pequeno e da House OF Wines, que funcionou entre as 15:00 e as 22:00, no dia 20, entre as 12:00 e as 22:00, no dia 21, e entre as 12:00 e as 20:00, no dia 22 de outubro.

E, de facto, várias regiões fizeram-se representar nesta feira, tais como: Açores, Alentejo, Algarve, Bairrada, Beira Interior, Dão, Douro, Lisboa, Península de Setúbal, Tejo ou Trás os Montes.

Acrescente-se ainda que, como um bom vinho necessita sempre de um bom petisco, logo a gastronomia não ficou esquecida: compotas, chutneys, patés, chocolates, alheiras, chouriços, presuntos, doçaria, mel, pães, queijos, empadas, granola, entre outros.


Por exemplo: logo ao entrar no recinto da feira propriamente dito, fui levada a dirigir-me a uma enorme bancada repleta de queijos, que pareciam ter um ótimo aspeto, para além daquele seu cheiro bastante característico, já para não falar de algo que me chamou também à atenção, ao qual não consegui resistir a comprar: broas com chouriço!

Entretanto, ainda reparei que ao lado existira uma outra mesa onde estaria exposto um outro tipo de produtos, igualmente diferenciadores no mercado e atrativos pela sua própria embalagem, como as granolas, que ao ter a oportunidade de conversar um pouco com quem estava a gerir aquele pequeno espaço, consegui entender melhor do que afinal se tratava.

Em primeiro lugar, parte da bancada onde eu me aproximara inicialmente era relativa ao projeto Gourmeceria – Mercearia Gourmet, cujo objetivo principal fora sempre, e continuará a sê-lo cada vez mais, trazer para o presente um pouco da nossa história, bem como toda aquela qualidade que se exige!

Em segundo lugar, a bancada a seguir era antes relativa a um projeto bem mais recente, a Mother Bio, por sua vez mais dedicado à venda de produtos ao nível da agricultura biológica, logo devidamente certificados e só relativos à produção do tipo artesanal, ou seja, “sabe bem, faz melhor”! 

Já agora, este mesmo projeto, que já estaria há muito para acontecer, possuindo também uma queijaria, costuma estar presente todos os sábados das 9h às 14h nos mercados de agricultura biológica do Campo Pequeno, Príncipe Real e Parque das Nações; pois no que diz respeito à Gourmeceria, por sua vez costuma estar, por exemplo, no Centro Cultural de Belém todos os primeiros domingos de cada mês.

A seguir dirigira-me a uma outra mesa em que, mais uma vez, se entrecruzavam dois grandes projetos, mas com a mesma ambição, que era a de desenvolver produtos, na minha opinião, facilmente passíveis de serem caracterizados como extremamente inovadores, ao mesmo tempo que inspiram e deliciam quem é tentado a prová-los: Aquae Flaviae e Wine to Eat.  
 
Mais especificamente, no primeiro caso temos, por exemplo, o seguinte conjunto de produtos: Mel com Ouro, Mel com Rosas e Flor de Sal com Ouro; enquanto que, no segundo caso, temos: “vinho comestível” em forma de Flor de Sal, Geleias eTrufas.
 
Já agora, acho pertinente chamar à atenção dos leitores deste blogue para as seguintes frases contidas nos sites relativos a estes mesmos projetos (http://www.winetoeat.com http://aquaeflaviae.pt/ respetivamente):
 
Wine makes every meal an occasion, every table more elegant, every day more civilized” 
(Andre Simon)
Aqua Flaviae, este foi o nome com que os romanos batizaram a atual cidade de Chaves, conhecida por ter uma das melhores águas termais de toda a Europa. Existem ainda na região lagares romanos escavados na rocha que provam a extrema aptidão destas terras para a produção de vinho; encontrando-se também vestígios das explorações de ouro nas redondezas. O sol forte e abundante gera aqui um mel brilhante e luminoso e um azeite notável. Perante a riqueza destes ingredientes a escolha para os nomes dos produtos da Sapientia Romana foi óbvia (não podia ser outra) Aquae Flavia, Sapientia Romana
E ainda existe um outro aspeto que eu gostava de sublinhar: o facto das próprias embalagens conseguirem realçar uma imagem de luxo e de requinte, ao saber conjugar-se o vidro com a cortiça, possibilitando converterem-se depois ainda em porta-guardanapos ou em bases para copos, por exemplo!
 

O Solar dos Loendros já tem uma existência de 30 anos, tendo sido fundado pelo Sr. Diamantino Ferreira, ao ter decidido apostar na terra de origem da sua esposa: Tomar. Para isso, procurou reconverter os antigos vinhedos que a família tinha, plantando castas que ainda não existiam, logo foi o impulsionador das castas estrangeiras na região!

Começaram-se então pelas castas Cabernet Sauvignon e Chardonnay,  tendo entretanto a adega sofrido várias remodelações, que ao conseguir expandir-se ao longo do tempo, somam-se agora cerca de 30 hectares, onde se continua a dar relevo às castas existentes na região.

Por isso, o portefólio atual do Solar dos Loendros contém todo um conjunto de vinhos brancos, tintos e rosé, podendo destacar, por exemplo, o intitulado de “O Mordomo”, este intimamente ligado à tradicional Festa dos Tabuleiros de Tomar, sendo naturalmente uma edição limitada, para a qual foram engarrafadas exatamente 6666 garrafas!

E para de alguma forma fazer realçar o facto do Solar dos Loendros fazer jus à nossa própria história, por que não destacar aqui o seguinte texto retirado do site wikipédia?
Ora leiam:

“A Festa dos Tabuleiros é a celebração mais importante da cidade de Tomar (…), sendo a Festa que atrai mais visitantes em Portugal, cerca de meio milhão de pessoas apenas no dia do Cortejo dos Tabuleiros. É também considerado um dos maiores Festivais do Mundo, tendo adquirido estatuto e fama internacional, sendo hoje em dia um dos ícones culturais de Portugal. Também conhecida como a Festa do Espírito Santo, realiza-se de 4 em 4 anos, no início do mês de julho.
O traço mais característico desta festa é o Desfile ou Procissão dos tabuleiros, que representam as freguesias do concelho e percorre a ruas de Tomar por 5 km, ladeado pelas colchas que a população pendeu à janela, e os milhares de visitantes que vêm se deslumbrar por essa profusão de cores.
Tradicionalmente, o tabuleiro é transportado por uma rapariga vestida de branco e terá de ter a altura da mesma. Este é decorado por flores de papel colorido, espigas de trigo, 30 pães, de 400gr cada, enfiados em canas que saem de um cesto de vime evolvido por um pano banco bordado. O topo do tabuleiro é ainda composto por uma coroa encimado pela Cruz de Cristo ou a Pomba do Espírito Santo.
Além do Desfile, a Festa é constituídas de diversas cerimónias tradicionais como o Cortejo das Coroas, o Cortejo dos Rapazes, o Cortejo do Mordomo ou a chegada dos Bois do Espírito Santo os Cortejos Parciais e os Jogos Populares.
No dia a seguir ao Cortejo, ainda se mantém a tradição da Pêza que consiste na partilha do pão e da carne pelas populações.”

E para finalizar este texto, que já vai longo, Art & Soul é um projecto nascido em Évora, durante o ano de 2016, sob a responsabilidade do Designer António Paiva de Andrada, que se dedica ao desenho, conceção e fabrico de peças decorativas e utilitárias, utilizando aglomerados de cortiça como matéria prima principal, como por exemplo
 
– frapé para duas garrafas com o interior em alumínio,
– bases para copos,
– suportes para velas,
– suporte para candeeiros,
– baldes para gelo, 
– garrafeiras, 
– malas de transporte para garrafas.
 
E talvez o ponto mais importante da pequena conversa mantida com o próprio mentor deste projeto seja: como é importante a motivação intrínseca encontrar-se com o conhecimento, pois a sorte aparecerá sempre em cada piscar de olhos da oportunidade aliada à nossa própria persistência no trabalho! 

Para mais informações, por exemplo consulte:

segunda-feira, 23 de outubro de 2017

MERCADO DOS VINHOS - Campo Pequeno (21 outubro 2017) - 1.ª PARTE

Ontem foi um dia dedicado à ida a um evento muito marcante em Lisboa: o Mercado de Vinhos no Campo Pequeno!

Pois bem, este mesmo evento, tendo contado já com a sua sexta edição entre os dias 20 e 22 de outubro, serve de referência no panorama vitivinícola nacional, tendo reunido, desta vez, mais de uma centena de produtores portugueses, com o objetivo maior de divulgar produtos nacionais exclusivos, de excelentíssima qualidade e a preços mais competitivos!
Também houve lugar à descoberta de produtos «novos», mas de alguma forma ligados à autêntica cultura do vinho, como forma de conseguir maior visibilidade e interesse entre os visitantes. 
E, na minha opinião, claro que foi uma aposta ganha, sobretudo para as pequenas produções nacionais, visando ao mesmo tempo recriar a ideia de um mercado antigo, para além de ainda existir a oportunidade de se provarem determinados produtos antes de se decidir por alguma compra, possibilitando aumentar cada negócio em causa de uma forma mais sólida!

Segundo Vasco Cornélio, diretor de Eventos e Espetáculos do Campo Pequeno, «A adesão espectacular que o Mercado de Vinhos teve este ano, e que excedeu completamente as nossas expectativas, só pode significar que o percurso que temos feito para proporcionar aos pequenos produtores um espaço de visibilidade, e aos visitantes um espaço de descoberta, está a cumprir em pleno com o seu objetivo».

Acrescente-se ainda que ocorrera uma competição nacional, o Concurso de Vinhos do Crédito Agrícola, por sua vez realizada em parceria com a Associação de Escanções de Portugal, em que todos os produtores e cooperativas das várias regiões vitivinícolas do país poderiam participar.

E, já agora, sabia que a história do próprio recinto desta feira, a designada Praça de Touros do Campo Pequeno, chega a confundir-se com a da própria cidade de Lisboa? Por acaso sabia que estamos no ano em que se comemoram 125 anos da sua existência?
 
Ela mesma está atualmente classificada administrativamente como sendo de 1ª Categoria, ou seja, é considerada como sendo a primeira Praça de Toiros de Portugal

O recinto está assim indicado para corridas de touros, concertos musicais, feiras, exposições, entre outras situações, tendo uma capacidade de cerca de 10000 pessoas, sendo 6848 lugares sentados. O seu calendário tauromático decorre essencialmente durante as estações da primavera e do verão.

Todavia, também tem sido palco para inúmeros comícios ao longo dos tempos, tornando-se, segundo uma notícia publicada no site Notícias ao Minuto e avançada por Lusa no passado dia 17 de agosto deste ano, num “barómetro para implantação dos partidos políticos“, sendo estas as palavras de Paulo Pereira, relações públicas da praça de Lisboa, que segue a festa brava há mais de duas décadas, primeiro enquanto jornalista e desde 2006 como funcionário do espaço. 

Em modo conclusivo, preparem-se portanto para o que aí vem ainda este ano, no que diz respeito a outro tipo de comemorações e/ou a outros momentos especiais intimamente ligados à sua alargada agenda de iniciativas, sugerindo estarem atentos ao seguinte link direto:

E no que diz respeito à 2.ª Parte  deste mesmo texto, espero voltar muito em breve com uma descrição mais ou menos pormenorizada de alguns dos muitos projetos presentes no intitulado Mercado dos Vinhos deste ano, sendo a prova real de que se sabe bem e é português, valerá a pena apostar para tentar fazer melhor, porque no fim dar-se-à de certeza um brinde! 

sábado, 21 de outubro de 2017

RECEITAS PARA O LANCHE: 1.ª parte!

O calor, em Portugal, parece que vai voltar, por isso, que tal preparar um agradável lanche ao final da tarde de hoje, ou então amanhã, em família ou entre amigos, deixando-o prolongar-se até à hora de jantar?
Juntem-se de forma a relembrarem em conjunto todos aqueles bons momentos de férias, afinal passados juntos no verão passado, sem esquecer a boa animação e a ótima disposição que vos une!
Podem sempre aproveitar algumas sobras de outras refeições, tal como terão a oportunidade de ler mais abaixo, para além de que poderão ainda distribuir alguns rebuçados pelas crianças, de forma a convidá-las igualmente a irem para a mesa!
Vamos para a cozinha?
RECEITA NA CATEGORIA DE SNACKS: Espetadas de Fruta

Ingredientes:

  • 24 uvas
  • 8 rodelas de ananás cortadas aos quartos
  • folhas de hortelã q. b.
  • sumo de 1/2 limão
  • mel q. b.
  • pistachos descascados q. b.

Confeção:

  1. triturar os pistachos de forma grosseira e reservar
  2. misturar o mel com o sumo de limão muito bem
  3. preparar 8 espetadas com 8 palitos compridos, intercalando as uvas com as rodelas cortadas aos quartos
  4. colocar as espetadas na travessa de servir, espalhando por cima o molho preparado anteriormente, assim como opistáchios reservados
RECEITA NA CATEGORIA DE BEBIDA: Sumo de Pêssego Natural

 

Ingredientes:

  • 1 lata de pêssegos em calda
  • sumo de 1/2 limão

Confeção:

  1. triturar os pêssegos numa liquidificadora, misturanto um pouco da calda a gosto, de forma a ficar mais ou menos espesso, bem como o sumo de limão
RECEITA NA CATEGORIA DE SNACKS: Chocolates com Avelãs
 

Ingredientes:

  • 1 tablete de chocolate branco
  • 1 tablete de chocolate de leite
  • 1 tablete de chocolate negro
  • 1 embalagem de avelãs inteiras descascadas e torradas
  • pimenta rosa e flor de sal q. b.

Confeção:

  1. derreter as tabletes de chocolate em banho-maria ou no microondas e em separado
  2. triturar as avelãs de modo grosseiro
  3. preparar um tabuleiro, cobrindo-o com papel vegetal, para: em primeiro lugar, espalhar aí as já descritas avelãs, seguidas dos vários chocolates; em segundo lugar, alisar e misturar tudo um pouco com a ajuda de algum talher; em terceiro lugar, espalhar ainda algumas pedras de flor de sal, bem como alguns pedaços de pimenta rosa entretanto esmagada num almofariz
  4. assim que o chocolate solidificar, será só necessário pegar numa faca e cortar aos pedaços ao seu gosto, devendo servir logo a seguir
RECEITA NA CATEGORIA DE SNACKS: Enroladinhos de Carne com Molho de Soja
 

Ingredientes:

  • folhas wraps de arroz
  • sobras de carnes cortadas às tiras ou desfiadas
  • 1 lata pequena de rebentos de soja
  • cenoura cortada às tiras ou então ralada
  • pickles a gosto cortados aos pedaços
  • molho de soja
  • cebolinho

Confeção:

  1. preparar o recheio: misturar muito bem a carne, os rebentos de soja, os pickles e a cenoura com um pouco de molho de soja e reservar
  2. preparar o molho: misturar molho de soja com cebolinho a gosto e reservar
  3. preparar os enroladinhos com as folhas wraps de arroz conforme a descrição incluída na embalagem respetiva, de forma a colocar um pouco do recheio anterior em cada um até acabar
  4. servir numa travessa com o molho reservado
RECEITA NA CATEGORIA DE SNACKS: Tortilha de Batata, Cebola e Salsa
 

Ingredientes:

  • sobras de puré de batata
  • 1 cebola pequena picada
  • 1 ramo de salsa picada
  • azeite q. b.

Confeção:

  1. misturar muito bem, o puré de batata com a cebola e a salsa
  2. colocar uma frigideira pequena ao lume com o azeite
  3. verter aí o preparado anterior, de forma a pressionar tudo um pouco de forma a que tudo se acomode e agregue, sempre em lume brando
  4. deixar fritar um pouco de cada lado, usando um prato para ajudar a virar, e ao mesmo tempo procurar dobrar todo o bordo para baixo, de forma a ficar também ligeiramente arredondado
  5. servir cortado às fatias, podendo ser quente ou frio

terça-feira, 17 de outubro de 2017

16 de outubro: DIA MUNDIAL DA ALIMENTAÇÃO E DO PÃO!

16 de outubro, comemorou-se o Dia Mundial do Pão, bem como o Dia Mundial da Alimentação

A data fora instituída, ora pela União Internacional de Padeiros e Afins em 2000, ora aquando da fundação da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura, em 1945, respetivamente.

No que diz respeito ao Dia Mundial do Pão, podemos afirmar que o pão é, sem dúvida, o alimento mais popular e versátil do mundo. Ele é, digamos que, uma peça chave na alimentação diária, uma vez que também é de custo baixo e talvez um dos alimentos que menos mal faz à nossa saúde! 
Desta forma, o mesmo existe hoje de diversas formas e formatos por todo o mundo, seja o pão de espelta, o pão de milho, o pão de alfarroba, o pão de malte…

Na verdade, o seu primeiro registo relativo a pão fermentado, data de, aproximadamente, 4 mil anos a.C., quando os egípcios, realizaram a fermentação de uma massa de trigo, amassando-o com os pés, apesar de ser feito a partir de espécies de trigo de qualidade inferior, já que o de qualidade superior estaria reservado para os ricos.
Entretanto, foram os romanos que espalharam o seu consumo pela Europa, pois era costume fazer-se uma cruz na massa do pão e rezar para que ele crescesse bastante, originando um corte que ainda se usa atualmente. 
Já agora, até à Idade Média, o número de pães servia como uma forma de pagamento. Mas, para os cristãos, por exemplo, o pão é um alimento sagrado, pois representa um símbolo do corpo de Deus, da vida e de partilha!

RECEITA NA CATEGORIA DE SNACK: Pão Recheado com Queijo e Bacon
Ingredientes:
  • 1 pão de trigo caseiro alto
  • 2 dentes de alho picados
  • 6 colheres de sopa de maionese
  • 1 embalagem de queijo ralado
  • tomilho q. b.
  • 1 embalagem de bacon cortado aos cubos
  • 1 chouriço caseiro cortado aos cubos
Confeção:
1) cortar o pão no topo, para depois retirar o miolo e reservar

2) preparar o recheio, juntando muito bem os restantes ingredientes
3) colocar o preparado anterior dentro do pão reservado anteriormente, para depois ser levado ao forno a cerca de 200ºC, até o queijo dourar, juntamente com o miolo que entretanto fora também cortado às fatias, de forma a ficar igualmente tostado com um pouco de azeite

Quanto ao Dia Mundial da Alimentação, este tema costuma agregar cerca de 150 países, incluindo Portugal, em que todas as atividades e informações podem ser devidamente encontradas no site FAO, nomeadamente ao nível dos objetivos, tais como:

  • Alertar para a necessidade da produção alimentar e reforçar a necessidade de parcerias a vários níveis;
  • Alertar para a problemática da fome, pobreza e desnutrição no mundo;
  • Reforçar a cooperação económica e técnica entre países em desenvolvimento;
  • Promover a transferência de tecnologias para os países em desenvolvimento;
  • Encorajar a participação da população rural, na tomada de decisões que influenciem as suas condições de vida.
RECEITA NA CATEGORIA DE SNACK: Pão Gratinado com Gambas, Fiambre e Cogumelos
Ingredientes:
  • 1 pão escuro alto
  • 1 embalagem de queijo ralado
  • 1 cebola picada
  • 1 tomate maduro
  • 1/2 copo de vinho branco
  • óregãos q. b.
  • 1 folha de louro
  • 1 embalagem de fiambre cortado aos cubos
  • 1 embalagem de presunto cortado às fatias finas
  • 1 lata de cogumelos laminados
  • 1 embalagem de gambas pré-cozinhas e ultracongeladas

Confeção:

1) cortar o pão no topo, para depois retirar o miolo e reservar


2) preparar o recheio, juntando muito bem os seguintes ingredientes, exceto o queijo ralado, de forma a fazer um refogado simples só com um pouco de azeite no fundo de uma frigideira e em lume brando



3) espalhar primeiro uma parte do queijo ralado no interior do pão reservado anteriormente e só depois o preparado anterior, seguido do restante queijo por cima, para depois ser levado ao forno a cerca de 200ºC, até o respetivo queijo dourar, juntamente com o miolo que entretanto também fora cortado às fatias, de forma a ficar igualmente tostado com um pouco de azeite



Acrescente-se que o número de habitantes do planeta deverá ultrapassar os nove bilhões de pessoas em 2050, logo a produção mundial de alimentos irá ter de aumentar cerca de 60%, de forma dar resposta às necessidades alimentares da população mundial, não devendo esquecer-se também que:

“Alimentos são desperdiçados de várias formas: pela produção em excesso, ao caírem dos caminhões durante o transporte, ficando em estoque… Entretanto, boa parte do desperdício ocorre exatamente onde o alimento deveria ser aproveitado: na cozinha. O descarte de cascas, sementes e raízes que poderiam ser usadas em diversas receitas é um exemplo de como jogamos na lixeira o que deveria estar no prato. A alimentação sustentável combate este processo, por meio do aproveitamento integral, do planejamento na hora de ir às compras e da conservação. Menos lixo acumulado, menos dinheiro gasto em vão e melhor distribuição de mantimentos. Tudo isso com pequenas mudanças no dia a dia.”

(fontehttp://www.bancodealimentos.org.br/alimentacao-sustentavel/dia-mundial-da-alimentacao-2017/)

Por outro lado, ainda importa sublinhar o seguinte:

A migração é parte do processo de desenvolvimento, como economias sofrem transformação estrutural e pessoas em busca de melhores oportunidades de emprego no seu país e além das suas fronteiras. O desafio é abordar os factores estruturais de grandes movimentos populacionais para fazer seguro migração, ordenada e regular. Assim, a migração pode contribuir para o crescimento económico e melhorar a segurança alimentar e meios de subsistência rurais, promovendo assim o progresso dos países em alcançar o desenvolvimento sustentável do Milênio.”

(outras fontes: www.calendarr.com,

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

PASSEIO TURÍSTICO POR CALDAS DA RAINHA


Tal como a própria aplicação City Guide disponível para smartphones na App Store, Play Store e Windows Store sugere como mote, Caldas da Rainha é uma cidade hospitaleira, saudável, tradicional e artística!

Na minha opinião, o turismo de Caldas da Rainha tem desenvolvido bastante, com uma agenda cada vez mais vivaz no que toca à construção de roteiros a ver com verdadeiros locais de interesse e naturalmente emblemáticos envolta da cidade e arredores, tais como: Praça da República, Ermida de S. Sebastião, Chafariz das Cinco Bicas, Hospital Termal Rainha D. Leonor, Igreja Nº Sª Pópulo, Museu do Hospital e das Caldas, Parque D. Carlos I, Museu de José Malhoa, Casa – Museu São Rafael, Museu de Cerâmica, Centro de Artes. 

Aliás, no próprio Posto de Turismo, que é onde normalmente me dirijo sempre em algum local menos conhecido à partida, em busca de variadíssimas informações a ver com alojamento, restauração, artesanato, eventos, etc, foi-me sabiamente descrita essa mesma funcionalidade e versatilidade na utilização desse tipo de tecnologia e consequente integração das pessoas com o meio envolvente, digamos que, apenas à distância de um clique!

Quanto às suas histórias e tradições mais longínquas, ao nível da gastronomia mais singular e marcante, proliferá para sempre uma influência do tipo conventual, como as trouxas das Caldas, as lampreias de ovos ou as famosas cavacas ou os beijinhos (visitem o texto A GASTRONOMIA DE PORTUGAL NA OPINIÃO DE VIRGÍLIO GOMES NOGUEIRO GOMES, a propósito do tema Cavacas de Caldas da Rainha presente nos livros “Doces da nossa vida” e “Dicionário Prático da Cozinha Portuguesa”).

Já agora, no que diz respeito aos pratos típicos da região, existe uma grande procura pela pescaria da Lagoa de Óbidos, como por exemplo o Ensopado de Enguias da Lagoa, as Caldeiradas ou os mariscos da Lagoa.

Tudo começou com a construção daquele que é considerado, por muitos, o primeiro Hospital Termal do mundo, tendo D. Leonor custeado a construção do mesmo, iniciando-se os trabalhos em 1484.
E é no Largo do Conde de Fontalva que se situa a estátua da própria D. Leonor, celebrando-se aí mesmo o dia 15 de maio, o dia da cidade, que sendo feita em gesso, é parte integrante da coleção permanente do Museu José Malhoa, por sua vez localizado no centro do Parque D. Carlos I.

Este mesmo parque, tal como posso comprovar, fica a cerca de 1h de Lisboa, podendo ser visitado todos os dias e de forma amplamente gratuita, logo um pouco semelhante ao que acontece com a intitulada Praça da Fruta, onde eu tive a oportunidade de, ainda durante a parte da manhã de um determinado dia de férias do passado verão, adquirir alguns tipos de produtos hortofrutícolas frescos, e não só (visitem o texto O PROJETO “GRAMAS COM SABOR”)

Mas ainda contém um Parque Infantil, um lago com patos à solta e barcos a remos e um Clube de Ténis, por exemplo, para além de um fantástico café/restaurante denominado Raizes, verdadeiramente apaixonante que serve refeições a preços bastante razoáveis e bem confecionados até, fazendo-se acompanhar ora de uma fantástica esplanada, ora de um tipo de decoração no seu interior capaz de nos fazer atrair logo que começamos a aproximar-nos do balcão a fim de saber quais é que eram mesmo os pratos disponíveis no momento, pois a fome já apertava, uma vez que o relógio colocado ao cimo da Junta de Freguesia, antes mesmo de eu passar pelo intitulado Mercado do Peixe, apontava quase para as 12h!



E por acaso já ouviram falar das loiças com a assinatura de Raphael Bordallo Pinheiro? Outro grande mestre na área da cerâmica artística versus desenho humorístico do nosso Portugal, sem dúvida, fruto do desenvolvimento também na área da pintura, donde as suas caricaturas são de longe as mais impressionantes, não concordam? Já agora, a chamada Fábrica de Faianças de Caldas da Rainha fora fundada a 30 de junho de 1884, que após a grande crise de 2008 fora recentemente adquirida pelo Grupo Visabeira de forma a assegurar a sua continuidade!

Para mais informações, por favor clique em:

Sugiro ainda clicar no vídeo abaixo:

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

AGENDA DOMÉSTICA COZINHA COM ROSTO 2017: Mês de outubro e a Receita "Folhado de Alheira e Espinafres acompanhados de Risoto de Bacon e Cogumelos"

Outubro é o décimo mês do ano no calendário gregoriano, com a duração de 31 dias, devendo-se o seu nome à palavra latina octo (oito), dado que era o oitavo mês do calendário romano, que começava em março.

Outubro é então o mês da renovação do nosso espírito, fruto também das condições atmosféricas mais antagónicas e instáveis relativamente à estação do outono.

Mas… por onde é que anda a chuva?? 
Como já me apetecia começar a sentir aquele cheirinho bom a terra molhada…
por acaso, caros leitores deste blogue, não acham estranho persistirem temperaturas acima dos 30ºC?? 

E atenção que está previsto ocorrer a intitulada mudança de hora no último fim de semana de outubro!!

Por isso, nada melhor do que assistir de imediato a uma das minhas receitas favoritas que eu tive o prazer de passar para vídeo, ainda numa altura em que este projeto tinha o nome de “MR Kitchen“!

Acrescente-se ainda que, foi durante o ano de 2014, ao ter a oportunidade de participar no passatempo “Chef Caseiro“, a ver com o canal 24Kitchen, decidi apresentar essa mesma receita, por isso espero que gostem e que a partilhem com os vossos amigos!


(fonteshttps://pt.wikipedia.org)