segunda-feira, 25 de novembro de 2019

Receita de Bolo Suspiro de Chocolate e de algo mais!

Quem é que não acha que a vida corre cada vez mais rápido?

Mas será só uma sensação minha ocasional ou será que existe mesmo algum tipo de explicação científica para este tipo de fenómenos?

Então não é que tropecei outro dia com um certo artigo pela Internet, e depois com mais outro e outros mais ainda a seguir, sobre este mesmo assunto?!

Eu, desde que me lembre, sempre fui muito curiosa com vários assuntos, como por exemplo a ver com o tema da ciência, por isso fiz mais algumas pesquisas e encontrei o seguinte:

O fenómeno parece não fazer sentido, mas desde o século XIX que os psicólogos o explicam através da Lei de Weber (também conhecida como Lei de Weber-Fechner). O que a lei nos diz é que para estímulos de intensidade inferior, a nossa sensação é mais apurada do que para estímulos de intensidade superior.

E realmente, pensando bem, o que me acontecia em criança era que a vida parecia passar muito mais devagar, fazendo-me, digamos que, aproveitar mais e melhor certos momentos… mas também acho que a inocência própria de uma criança devia ter a sua influência, não acham?

Mas façamos agora a seguinte experiência:

Se estiver com um amigo ou familiar, experimente fazer o que Weber testou com o seu aluno. Sem lhe dizer os valores, dê-lhe para uma mão algo que pese 100 gramas e para outra algo que pese 150 gramas. Pergunte-lhe qual o objeto mais pesado. (…) De seguida, dê ao seu parceiro algo que pese 1 quilo e 100 gramas, e outro que pese 1 quilo e 150 gramas. É aqui que o ser humano tem mais dificuldade.

A diferença de peso entre as dois objetos mantém-se mas parece mais difícil detetá-la. Podemos então dizer que a intensidade de um estímulo, que neste caso corresponde ao peso dos objetos, não é diretamente propocional à sensação desse estímulo. (…) O que vários cientistas e académicos têm vindo a defender é que a teoria de Weber não se aplica apenas a estímulos físicos. A passagem do tempo, por exemplo, pode ser explicada seguindo esta lógica.”

Portanto, já sabe: da próxima vez que comemorar o seu aniversário, não vale mesmo nada a pena pensar que está a envelhecer demasiado depressa, mas que se trata apenas de um fenómeno psicológico perfeitamente normal!

Por isso, vamos lá mas é comemorar o facto de que a vida é para ser vivida com a maior intensidade possível a cada dia, hora e segundo, devendo conectar-se sempre aos nossos desejos mais profundos, de forma a irmos ao encontro da nossa própria felicidade lado a lado de quem mais gostamos, correto?

E aqui segue então a minha sugestão de ementa para um jantar muito especial, dedicado também a alguém muito especial para mim, uma vez que fazer anos também é sinónimo de somar sabores, tal como escreveu George Sand, que sendo este o pseudónimo de Amandine Aurore Lucile Dupin, baronesa de Dudevant (Paris, 1 de Julho de 1804 — Nohant, 8 de Junho de 1876), clamada romancista e memorialista francesa, é considerada, nada mais nada menos do que, a maior escritora francesa!

Vamos cozinhar?

RECEITA NA CATEGORIA DE SNACKS: Wraps de Sementes Gratinadas com recheio de Cogumelos e Bacon

Ingredientes:

  • wraps de sementes q. b.
  • 1 cebola pequena
  • 125 g de tiras de bacon fumado
  • 1 dl de azeite
  • 2 alhos
  • 1 ramo pequeno de salsa
  • 1 embalagem de compra de cogumelos frescos laminados
  • 1 embalagem de compra de molho béchamel
  • noz moscada q. b.
  • 1 dl de vinho branco
  • queijo ralado q. b.

Confeção:

  1. Fritar um pouco as tiras de bacon numa frigideira, antes de juntar a cebola e os alhos, tudo picado, bem como o azeite, de forma a preparar um refogado;
  2. Adicionar os cogumelos frescos laminados, para além do ramo de salsa e do vinho branco, deixando cozinhar durante alguns minutos;
  3. Verter o molho béchamel, previamente misturado com um pouco de noz moscada a gosto, mexendo bem até apurar e ganhar alguma consistência;
  4. Depois de distribuir os wraps de sementes pelos pratos individuais entretanto escolhidos para irem ao forno, espalhar o preparado anterior por cima destes, bem como o queijo ralado a gosto;
  5. Levar os pratos individuais ao forno até gratinarem. 

RECEITA NA CATEGORIA DE SOPA: Creme de Abóbora Assada acompanhado de Chouriço Mouro Assado aos Cubos

Como esta receita já foi publicada noutro artigo do blog, por favor clique aqui.

Entretanto, uma vez que o meu forno estava a ser utilizado, aproveitei para ainda assar aí um pouco de chouriço mouro, tendo-o depois cortado tudo aos cubos pequenos, de forma a ser servido juntamente com o creme, já dentro da abóbora hokaido!

RECEITA DA CATEGORIA DE ESPECIAIS: Bolo Suspiro de Chocolate

Ingredientes:

Placas de Suspiro de Cacau:

  • 8 claras de ovos
  • 450 g de açúcar fino
  • 4 colheres de sopa de cacau

Creme de Chocolate:

  • 300 g de chocolate >70% cacau 
  • 500 ml de natas 

Ganache de Chocolate:

  • 300 g de chocolate >70% cacau 
  • 200 ml de natas 
  • 1 colher de sopa de manteiga

Confeção:

  1. Placas de Suspiro: pré-aquecer o forno a 100ºC; preparar 4 folhas de papel vegetal, desenhando 4 círculos com cerca de 20 cm de diâmetro; bater as claras até ficarem espumosas; adicionar o açúcar aos poucos até obter um merengue firme; envolver o cacau peneirado até obter uma cor homogénea; dividir e espalhar o merengue pelas 4 folhas de papel vegetal e levar ao forno em 4 tabuleiros durante 2h, mudando a sua posição de vez em quando; deixar arrefecer as placas de suspiro no forno.
  2. Creme de Chocolate: levar  200 ml de natas ao lume, até começarem a borbulhar; adicionar o chocolate em pedaços e mexer até derreter; levar ao frigorífico até arrefecer; bater as restantes natas e envolver no creme previamente arrefecido.
  3. Ganache de Chocolate: levar as natas ao lume até começarem a borbulhar; adicionar o chocolate em pedaços e a manteiga, mexendo sempre até derreter e obter um creme liso e sedoso; deixar arrefecer.
  4. Montagem: no prato de servir o bolo, colocar um disco de suspiro e espalhar por cima 1/4 do creme de chocolate, bem como 1/4 do ganache de chocolate; repetir o processo mais 3 vezes, de forma a que a última camada seja apenas para colocar por cima uns pequenos suspiros de cacau, que entretanto também foram feitos a partir do que sobrou do merengue descrito no passo 1 anterior, tal como pode verificar nas fotografias contidas neste artigo.

(fonte: http://visao.sapo.pt/actualidade/sociedade/2019-07-10-A-lei-que-ajuda-a-compreender-porque-o-tempo-parece-passar-cada-vez-mais-rapidamente,

https://pt.wikipedia.org/wiki/George_Sand,

http://www.annieskitchen.pt/2017/01/bolo-suspiro-de-chocolate.html)

segunda-feira, 18 de novembro de 2019

Bolo de Azeite: uma Receita Tradicional Alentejana Simples e Boa!

Ora então aqui vai um bolo tradicional português, oriundo do Alentejo, tendo em conta toda a pesquisa que eu fiz!

E nada melhor do que «juntar o útil ao agradável», ou seja, aliar uma boa receita a um dos produtos de excelência de Portugal, produto este que já foi muito maltratado relativamente à preferência por outros óleos, ainda que tenha sido utilizado para quase tudo em casa, desde a alimentação à iluminação:

A região mediterrânea, atualmente, é responsável por 95% da produção mundial de azeite, favorecida pelas suas condições climáticas, propícias ao cultivo das oliveiras, com bastante sol e clima seco.

Cientistas observaram que os povos das regiões do mediterrâneo têm vida mais saudável com baixo nível de infarto e câncer, por esses povos serem os maiores consumidores do azeite, e outras substâncias de uma dieta saudável, como peixe e verduras.

(fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Azeite)

Hoje nota-se que o azeite é, realmente, um dos maiores símbolos da identidade mediterrânica, em que o gosto dos consumidores está a refinar-se, mediante também os diferentes tipos de azeitonas que são utilizadas, contendo ótimos benefícios para a saúde, para além do facto de ser capaz de adicionar um sabor e aroma peculiares aos pratos:

Classificada pela UNESCO como Património Cultural Imaterial da Humanidade desde 2013, a dieta mediterrânica assenta numa filosofia e estilo de vida que têm por base a comunidade e a partilha de refeições elaboradas com alimentos locais e da época, preparados segundo receitas próprias de cada lugar. O azeite desempenha, há vários séculos, um papel fundamental nesta dieta, considerada como uma das mais saudáveis do mundo.

Composto, maioritariamente, por gorduras saudáveis monoinsaturadas (até 83%), o azeite é rico em antioxidantes naturais e fundamentais para a sua resistência ao aquecimento e para alguns dos benefícios que traz à saúde: cognitivos, anticancerígenos, digestivos, cardiovasculares, melhoria da saúde óssea e articular, modulação do sistema imunitário e proteção da pele.

Estas são algumas das razões que levam nutricionistas e outros especialistas clínicos a aconselhar o azeite em todas as dietas, como um produto fundamental para hábitos alimentares mais saudáveis. E porque os consumidores estão hoje mais atentos e melhor informados sobre os alimentos mais benéficos ao seu organismo, o consumo de azeite tem vindo a aumentar significativamente, com particular incidência nos segmentos aos quais é reconhecida maior qualidade, como o azeite virgem extra.

(fonte: https://www.sovenagroup.com/pt/marcas-e-produtos/os-nossos-produtos/azeite/)

Por outro lado, todos nós sabemos o quanto é que a gastronomia alentejana é rica em sabores e tradições, com um alto aproveitamento dos produtos da região, como o azeite e o mel, aliados, por sua vez, aos ricos aromas das especiarias, tornando autênticos doces regionais do Alentejo em iguarias ímpares e sabiamente únicas na doçaria tradicional portuguesa:

Em tempos, foi uma região de trigo e de grandes planícies onde as varas de porcos pastavam livremente nos montados e olivais. Por isso, o pão, o porco e o azeite tornaram-se a base de uma das mais gostosas cozinhas de Portugal, numa suave combinação com ervas aromáticas como os coentros, a salsa, o rosmaninho, os orégãos, o poejo ou a hortelã.”

(fonte: https://www.visitportugal.com/pt-pt/content/gastronomia-do-alentejo)

A minha, mas também sua, receita de Bolo de Azeite, uma receita tradicional alentejana verdadeiramente irresistível e bastante fácil de preparar.

Por favor, siga as instruções e… bom proveito, na hora do chá ao final de mais um dia cheio de trabalho aí em casa ou então na… hora do lanche com a sua família em redor da lareira acesa e crepitante!

RECEITA NA CATEGORIA DE SOBREMESAS: Bolo de Azeite

Ingredientes:

  • 1 colher de café de canela em pó
  • 1 colher de chá de erva-doce em pó
  • 200 g de açúcar
  • 200 g de farinha
  • 100 ml de azeite
  • 50 ml de mel
  • 4 ovos
  • 1 colher de chá de fermento

Confeção:

  1. Bater os ovos com o açúcar, o azeite e o mel.
  2. Juntar a erva-doce e a canela, seguidas da farinha e do fermento, batendo sempre.
  3. Deitar a massa numa forma untada e polvilhada com farinha.
  4. Levar a forma ao forno, pré-aquecido a 180º C, cerca de 40 minutos.

(fonte: https://www.mulherportuguesa.com/receita/bolo-de-azeite/,

http://www.docesregionais.com/bolo-de-azeite-e-mel-alentejo/)

segunda-feira, 11 de novembro de 2019

Revista Digital "P´ra Mesa" N.º 10

Assim segue mais um receituário escolhido a dedo, de mim para si, meu caro leitor!

E tal como pode comprovar depois de clicar aqui, muitos tesouros escondidos continuaram a ser desvendados pela vila de Palmela, permitindo-nos ficar então a conhecer mais um pouco do nosso país em alguns dos seus edifícios ou locais mais emblemáticos, produtos regionais ou gastronomia local!

Convido-o, desta forma, a desfolhar cada uma das 42 páginas da Revista Digital Bimestral do Blog Cozinha Com Rosto “P´ra Mesa” N.º 10, um projeto gastronómico que também pretende unir as pessoas à mesa, contrariando um pouco o próprio ritmo acelerado cada vez mais presente na nossa sociedade contemporânea:

  • pág. 5: Fora de PortasUma História de Sucesso em Palmela: A Confeitaria S. Julião!
  • pág. 15: Receitas com HistóriaA Receita da Sopa Caramela
  • pág. 18: À ConversaTiago f Moura do projeto SOMEWHERE
  • pág. 22: As minhas RecomendaçõesA Loja Selector Store
  • pág. 26: Viva MelhorCalaminta
  • pág. 29: Destaque do MêsO Terramoto de 1755 que abalou Lisboa, mas também Palmela!

Eu simplesmente acredito que a gastronomia é capaz de mudar o mundo e de transformar comunidades no melhor sentido da palavra, concorda comigo?

Nota importante: a Revista P´ra Mesa irá continuar a ser uma revista dedicada mais à gastronomia de uma certa localidade do nosso país, em que todos os subscritores deste Blog irão conseguir recebê-la automaticamente, na sua caixa de correio eletrónica, para além de continuar a ser totalmente gratuita e em formato PDF!

segunda-feira, 4 de novembro de 2019

Licor de Cerejas Caseiro

O Dia de São Martinho é uma festa litúrgica celebrada anualmente a 11 de novembro em honra de Martinho de Tours.

Nascido na Hungria por volta do ano 316, São Martinho de Tours foi um soldado romano que, depois de receber o batismo e renunciar a milícia, fundou um mosteiro em Ligugé, França, onde viveu a vida monástica. Mais tarde, recebeu a ordem sacerdotal e foi eleito bispo. Faleceu a 8 de novembro de 397. A lenda mais conhecida indica que Tours encontrou-se com um mendigo durante uma tempestade de neve e, com a sua espada, cortou o seu manto ao meio para partilhar com o pedinte e resguardá-lo da chuva. Nessa mesma noite, Martinho sonhou com Jesus vestido com a metade da sua capa e que, apontando para um grupo de anjos, lhe disse: “Foi São Martinho catecúmeno quem me agasalhou“. Entretanto, o tempo manteve-se solarengo durante três dias após a bênção de Jesus e daí o chamado de “verão de São Martinho“.

Em Portugal, a data é naturalmente associada à celebração da maturação do vinho do ano, sendo tradicionalmente o primeiro dia em que o novo pode ser degustado. Por este motivo, é costume fazer-se um grande magusto, castanhas assadas sob as brasas da fogueira, tudo devidamente acompanhado da chamada água-pé, resultante da adição de água ao bagaço da uva, ou jeropiga.

O autor José Leite de Vasconcelos afirmou que: o magusto representa um sacrifício em honra dos mortos, explicando que em tempos, nalguns locais, era tradição acender as fogueiras e preparar, à meia-noite, uma mesa com castanhas para os mortos da família irem comer.

Um ditado típico português relacionado ao dia de São Martinho diz o seguinte: “No dia de São Martinho, vai à adega e prova o vinho”.

RECEITAS NA CATEGORIA DE BEBIDAS: Licor de Cerejas

Ingredientes:

  • 500 g cerejas com os pés
  • 1 pau de canela
  • 150 ml de água
  • 150 g de açúcar
  • 300 ml de aguardente
  • 1 cravinho
  • casca de 1 limão

Confeção:

  1. Lavar muito bem as cerejas, para depois serem secas com a ajuda de papel de cozinha.
  2. Retirar a casca do limão com recurso a um descascador de batatas.
  3. Colocar as cerejas num frasco limpo e seco, adicionando em seguida a casca de limão, o cravinho e o pau de canela.
  4. Levar a água e o açúcar ao lume até este derreter.
  5. Depois de desligar o fogão e esperar cerca de 20 minutos, verter a aguardente.
  6. Despejar o preparado anterior sobre as cerejas, para logo a seguir fechar bem o frasco.
  7. Guardar o frasco num local fresco, seco e escuro cerca de 4 meses antes de abrir, devendo agitar de vez em quando.
  8. Na altura de abrir o frasco, passar o licor por um filtro, para depois ser colocado numa garrafa e servir.

(fonte da receita: https://pt.wikipedia.org/wiki/Dia_de_S%C3%A3o_Martinho,

https://tertuliadesabores.blogs.sapo.pt/141775.html)