segunda-feira, 27 de janeiro de 2020

Licor Caseiro de Abrunhos

Foi no verão passado que, mais uma vez, tive a bela oportunidade de passar por Vila de Rei, aquela vila portuguesa que, pertencendo ao distrito de Castelo Branco, fica geometricamente situada no centro geodésico do nosso país!

E se ainda não leram os meus textos inseridos neste blog, a ver com esta simpatiquíssima região do Centro e sub-região do Médio Tejo, com cerca de 2 497 habitantes, basta clicar aqui, ali e acolá!

Já agora, quem é que não se recorda daqueles terríveis incêndios que assolam sempre vastas zonas florestais em Portugal, mas também zonas de habitação?

Fogo de Vila de Rei com 60% da área dominada, mas ainda preocupa” – notícia que pode ser lida na íntegra aqui, demonstrando ser apenas mais uma daquelas autênticas catástrofes, desta vez ocorrida em julho de 2019, não só pela elevada frequência com que costumam acontecer ou dimensões alcançadas, mas sobretudo pelos próprios efeitos destruidores que podem vir a causar, até para as populações e bens, não concordam?

Pois bem, e perguntam vocês agora: mas o que é que toda esta introdução tem afinal a ver com a receita, que mais abaixo terão a deliciosa oportunidade de ler, para mais tarde adoçarem, quem sabe, o inquebrável coração de alguém?!

E não se esqueçam que, para terem aquele exato sabor de que estão à espera logo no primeiro gole de licor de abrunhos, por acaso sabiam que o «preparado» precisa de estar guardado em local seco e escuro por 3 meses no mínimo? Atenção que, no meu caso, essa mesma garrafa acabou por ficar assim durante 4 meses, tendo sido depois como que uma explosão de sabores, entre a acidez do abrunho, o forte aroma do cravinho, o doce do açúcar e o acentuado sabor a anis, logo aquando a primeira prova…

Em primeiro lugar:

O abrunho (endrina em espanhol) é uma fruta pequena, de casca fina e algo resistente, coberta por uma espécie de pó azulado, e formato ovalado. Tem a polpa verde e muito doce quando maduro, mas com um toque azedo como as frutas cítricas. O tamanho do fruto pode variar um pouco, dependendo do solo onde cresce a planta. Solos mais ricos dão frutos maiores e mais doces, solos mais pobres dão frutos menores e mais ácidos. O Abrunheiro (Prunus spinosa) é um arbusto que pode chegar a 4 metros de altura. É uma espécie silvestre e pode ser encontrada em toda a Europa, Ásia e norte da África.

É rico em vitamina C, e tem baixas calorias. Funciona como um excelente laxante natural, seja consumindo as frutas, seja fazendo uma infusão com as flores secas.

Da mesma família das ameixas e dos pêssegos, pode ser usado na culinária em qualquer preparado onde usaríamos ameixas, como em geléias e sucos por exemplo – desde que bem maduro.”

Em segundo lugar:

Na Espanha, em Navarra, é feito desde o século XIX, em escala comercial, um licor chamado Pacharán, que acabou por tornar-se um licor tradicional na região. Os registros mais antigos do consumo deste licor, no entanto, remontam à Idade Média. O nome é uma versão acastelhanada da palavra basca Patxaran que, por sua vez, deriva da palavra basaran, nome que é dado à fruta neste idioma. Mas os abrunhos utilizados para a preparação do licor são os mais ácidos, pois é a acidez da fruta que dá o sabor especial a este licor.

Ou seja: o facto de estar agora a segurar um copo, preenchido com um pouco desta deliciosa bebida caseira, só porque ainda consegui ir ao encontro de verdadeiros abrunhos, criados sem qualquer tipo de químico ou elemento tóxico, na zona de Vila de Rei, ainda que mais pequenos e pendurados numa árvore em que, infelizmente, parte dela tinha sido completamente devastada pelo calor desse mesmo incêndio, que acabou até por fazer com que, por exemplo, a Praia fluvial de Cardigos fosse evacuada devido à rápida aproximação das chamas, tal como foi noticiado aqui, toda esta associação de ideias na minha cabeça fez-me lembrar que temos de pensar em proteger, e a sério, o planeta em que vivemos, caso contrário, ou muito me engano, ou então, as próximas gerações, por mais que tentemos aniquilar os nossos mais profundos pensamentos, apenas sobreviverão!

Aliás, tal como se pode também ler aqui:

quando são apresentadas medidas como o pagamento de mais impostos para que se tenha um meio ambiente sustentável para as gerações futuras, menos de um terço dos inquiridos concordam (24,5%). A solução? 57,9% das pessoas acreditam que as gerações futuras devem aprender a viver com menos recursos.

Só sei que continuam a identificar-se somente grandes desequilíbrios entre gerações, mas para quando uma reflexão mais profunda e acerbada sobre o que é que nós queremos realmente para os nossos filhos e os filhos dos nossos filhos?!

Bem, já chega destes meus pensamentos exacerbados e desta minha vontade enorme de mudar um pouco a «esfera» onde vivemos, ou não fosse eu também… professora de matemática!

Ora bem, pessoal… vamos à receita?

RECEITA DA CATEGORIA DE SOBREMESA: Licor Caseiro de Abrunhos

Ingredientes:

  • 750 g de abrunhos
  • 1 l de Licor de Anis
  • 2 paus de canela
  • 40 g de açúcar
  • 2 cravinhos

Confeção:

  1. Lavar os abrunhos, para depois serem colocados numa garrafa de boca larga;
  2. Encher a garrafa com o licor e acrescentar os restantes ingredientes;
  3. Fechar muito bem a garrafa, para logo a seguir ser guardada num local seco e escuro por 3 meses no mínimo, devendo agitar-se a mesma de vez em quando;
  4. Coar o licor de abrunhos, devendo ficar translúcido;
  5. Depois de pronto, servir bem frio como sobremesa.

(fonte: https://imaginacaoativa.wordpress.com/2009/03/22/doces-abrunhos/)

terça-feira, 21 de janeiro de 2020

A Curcuma chegou à L’Origine by Chakall!

Ano novo, Massa Nova! Este é o ponto de partida para a apresentação das novidades da carta da pizzeria L’Origine by Chakall para o início de 2020.

O grande destaque vai para a nova massa de pizza com base de curcuma, mas há um conjunto de novos pratos que passam a fazer parte do menu de inverno na L’Origine by Chakall, a pizzeria com assinatura do chef argentino que abriu portas em março de 2019. Vamos conhecê-las?

Falemos então de pizzas, as rainhas do espaço… Para fazer “companhia” às massas de beterraba e gengibre, carvão vegetal e, claro, à massa tradicional, chega agora a curcuma. Como já é conhecido, a massa de pizza “Chez L’Origine” passa por um período de maturação lenta entre 32 a 72 horas com especial atenção ao processo de fermentação e à escolha de todos os ingredientes, procurando sempre, além de uma experiência gastronómica inesquecível, obter uma pizza leve, fácil de digerir e com uma qualidade irrepreensível. A curcuma, nova aquisição da carta de inverno, é uma raíz conhecida pelo seu sabor amargo e cor dourada. Confere um sabor exótico aos alimentos e tem inúmeras propriedades terapêuticas (anti-oxidante e anti-inflamatória) dando, além disso, um importante contributo à função digestiva. No menu, mais abaixo, podemos encontrar várias combinações de ingredientes para testar o sabor sublime da curcuma.

E para saberem mais informações e curiosidades acerca da curcuma, é favor clicarem aqui, uma vez que já foi publicado outro texto neste Blog só acerca desta mesma raíz, numa parceria com Miguel Boieiro, autor de vários livros e Diretor na Sociedade Portuguesa de Naturalogia!

Ainda na secção das pizzas passa a estar disponível a Pizza La Mazarese (molho de tomate, mozzarella, burrata, tomate, pecorino romano e manjericão), Pizza La Norvegese (molho de tomate, mozzarella, mascarpone, salmão, alho francês e tomate cherry), Pizza Il Galeone (molho de tomate, mozzarella, ricotta, espinafres, bacon, queijo de cabra e ovo estrelado) e Pizza Deliziosa (molho de tomate, mozzarella, fiambre, cogumelos e orégãos).

Mas as novidades não se esgotam nas pizzas! Há mais, senão vejamos: nas entradas e especialidades podemos agora provar a Bruschette Caprese, o Rollê Vegetariano e Burrata de Trufas. E para quem não é grande apreciador de pizzas (sim, há sempre aquele amigo mais esquisito…) a secção da Pasta Fresca tem agora mais opções: Gnocchi Caseiro Pesto, Gnocchi Caseiro com Ragù, Penne Caprese e Cannelloni Ossobuco.

A pensar nos mais gulosos, a oferta das sobremesas também cresceu: Trio de Panna Cotta (com frutos silvestres, nutella e caramelo), Torta di Zucca (suculento bolo de abóbora com crumble), Tartufo gelado e novos sabores de gelados, como o de limoncello.

Com tantas novidades acrescentadas a uma carta já de si surpreendente… Vai uma fatia?

Já agora, fica aqui também o convite para lerem os próximos textos, já que, as novidades, a ver com o Aniversário dos 3 anos do Blog Cozinha Com Rosto, ainda não acabaram!

Estejam, portanto, atentos, caríssimos leitores, porque não vão arrepender-se, acreditem!

Em alternativa, cliquem aqui, de forma a serem, desde já, Subscritores deste Blog, não perdendo, assim, nada do que se irá passar ainda!

Benvenuto! Buon Appetito!

Sobre L’Origine by Chakall

L’Origine by Chakall é uma pizzeria com uma capacidade para 126 lugares sentados, divididos por 3 ambientes distintos: a esplanada (46 lugares), o piso térreo (26 lugares) e o primeiro piso (54 lugares) com uma vista surpreendente para o Tejo. Melhor cenário? Impossível!

Aqui, a massa é tratada com amor, deixada em maturação lenta entre 32 a 72 horas. À receita artesanal da massa de pizza juntam-se ingredientes inovadores como a beterraba, o carvão vegetal ou a curcuma que nos oferecem uma nova, saborosa e surpreendente experiência à mesa. O cuidado na confeção da massa bem como os ingredientes escolhidos resultam numa pizza leve e de fácil digestão mas com o toque ancestral que a caracteriza. Às massas artesanais juntam-se os melhores e mais frescos produtos da terra numa explosão de sabores sem igual.

L’Origine by Chakall é uma homenagem ao sangue italiano do Chef Chakall mas também às pizzas artesanais que ganharam nova vida na Rua da Pimenta.

L’ORIGINE BY CHAKALL:

Rua da Pimenta, 103 I Parque das Nações I Lisboa

HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO:

Almoços:

Segunda a Quinta: 12h00 – 16h00 (cozinha encerra às 15h00)

Sextas, Sábados e Domingos: 12h00-17h00 (cozinha encerra às 16h00)

Jantares:

Segunda a Quinta e Domingos: 19h30 – 0h00 (cozinha encerra às 23h00)

Sextas e Sábados: 19h30-1h00 (cozinha encerra às 0h00)

CONTACTOS E RESERVAS:

+351 218 948 136 I info@lorigine.pt

Mais informações sobre L’Origine by Chakall em: www.lorigine.pt

Facebook I Instagram I Zomato I Tripadvisor

(fonte: sururu – comunicação e eventos;

fotos: Direitos reservados)

segunda-feira, 13 de janeiro de 2020

Revista Digital "P´ra Mesa" N.º 11

Assim segue mais um receituário escolhido a dedo, de mim para si, meu caro leitor!

E tal como pode comprovar depois de clicar aqui, vários foram os textos escolhidos a ver com os mais vistos no Blog Cozinha Com Rosto, durante o ano de 2019: receitas variadas e a histórias da nossa gastronomia, entrevistas, sugestão de lojas e restaurantes ou então de plantas medicinais.

Convido-o, desta forma, a desfolhar cada uma das 40 páginas da Revista Digital do Blog Cozinha Com Rosto “P´ra Mesa” N.º 11, um projeto gastronómico que continua a pretender unir as pessoas à mesa, ainda que a partir de agora comece a ser de periodicidade trimestral, considerando-se esta como sendo uma Edição Especial, uma vez que, se no dia 6 de janeiro, o Blog Cozinha Com Rosto festejou 3 anos de existência, no próximo dia 14 de março, será a vez do Facebook Cozinha Com Rosto comemorar 6 anos!

  • pág. 5: O Bolo de Aniversário do Blog e do Facebook Cozinha Com Rosto – O Bolo Xadrez
  • pág. 11: Na Cozinha – Parte 1 – Bacalhau à Gomes de Sá + Feijoada à Transmontana com Arroz de Forno
  • pág. 16: Na Cozinha – Parte 2 – Licor de Amoras Silvestres + Hummus confecionado na Bimby
  • pág. 19: fora de portas: Fábrica Pastel de Feijão by Chef António Amorim
  • pág. 24: À Conversa – Chef Pedro Ayalla e Costa em entrevista à Cozinha Com Rosto
  • pág. 28: Viva Melhor – Plantas para Colher e Degustar – Urtiga
  • pág. 32: As minhas Recomendações – O Restaurante Luz by Chakall
  • pág. 38: Destaque da Edição Especial – O Texto mais visto no Blog Cozinha Com Rosto durante o Ano de 2019 – Sericaia

Por isso espero que aprecie tanto quanto eu, a seleção de textos indicada acima, já que, ainda este mês, acredite, vão aparecer mais novidades neste Blog, e… até ao próximo texto!

segunda-feira, 6 de janeiro de 2020

O Blog Cozinha Com Rosto já faz... 3 anos!

Olá, meus amores!

Então não é que hoje, faz exatamente 3 anos, que o meu querido Blog Cozinha Com Rosto nasceu?

Só sei que estou muito grata a quem sobretudo tem acreditado no meu projeto, uma vez que, tal como já disse várias vezes, o que eu mais gosto de fazer é aprender sempre mais para depois partilhar convosco tudo o que eu puder na área da cozinha e da gastronomia portuguesa e do mundo, incluindo receitas culinárias, entrevistas a profissionais, espaços de restauração, histórias e utilidades, lojas e produtos, etc…

E daí também o surgimento da intitulada Revista Digital Cozinha Com Rosto, há cerca de 1 ano, estando quase a aparecer por aí a nova e bela Edição Especial N.º11 de “P´ra Mesa”, esperando vivamente que não percam nada, devendo, para isso, clicar aqui para automaticamente serem meus seguidores e a receberem logo por email assim que for anunciada!

E já pensaram como é importante comer à mesa juntamente com a nossa família, passando essa mesma imagem para os nossos filhos? Mas também pode representar um momento único de eleição para definir a melhor estratégia empresarial ou um simples acordo entre particulares, não concordam?

Há quem diga até que “comer à mesa é um ato de intimidade“, para além de que muitas vezes “tem um sentido simbólico acrescido“, o da identificação com o local a que pertencemos!

Por tudo isto, só existem boas razões para nos sentarmos à mesa e brindarmos! Vamos?

RECEITA DA CATEGORIA DE CARNE: Coelho à Camponesa de Palmela

Ingredientes:

  • 1 coelho
  • 10 dentes de alho
  • 2 folhas de louro
  • piripiri e sal q. b.
  • 1 colher de chá de cominhos
  • 1l de vinho branco
  • 500 g de feijão encarnado
  • 1 cebola grande
  • 60 g de manteiga
  • 2 dl de azeite
  • 50 g de toucinho fumado
  • 1/2 pimento
  • 1 ramos de salsa

Confeção:

  1. Cortar o coelho em pedaços e temperá-los com os dentes de alho descascados e picados, a folha de louro, o piripiri, uma pitada de cominhos e sal a gosto.
  2. Regar com vinho branco e deixar marinar de um dia para o outro.
  3. Colocar também, na mesma altura, o feijão de molho em água.
  4. Escorrer o feijão, cobri-lo com água e temperar com sal, para depois ser cozido.
  5. Descascar e picar a cebola, para a seguir ser levada ao lume com a manteiga e o azeite.
  6. Picar o toucinho fumado em cubos pequenos e cortar o pimento em quadradinhos, juntando tudo à cebola, para além de adicionar um pouco de salsa e deixar refogar.
  7. Escorrer o coelho da marinada, deitá-lo no tacho do refogado e deixar alourar de todos os lados, para depois ser regado com a marinada e reduzir o lume, deixando cozinhar suavemente até a carne estar macia.
  8. Servir o coelho com o feijão.

RECEITA DA CATEGORIA DE ESPECIAIS: Charlotte de Morangos e Champanhe

Ingredientes:

  • palitos La Reine q. b.
  • 200 ml de vinho espumante ou champanhe + q.b. para embeber os palitos La Reine
  • 10 folhas de gelatina
  • água
  • 500 g de morangos
  • 1 limão
  • 150 g de açúcar
  • 150 ml de natas

Confeção:

  1. Forrar o fundo e as laterais de uma forma redonda de 18 cm com papel vegetal, para depois colocar no fundo e a toda a volta, os palitos La Reine embebidos em champanhe;
  2. Reservar e hidratar as folhas de gelatina em água.
  3. Triturar, no liquidificador, os morangos com o champanhe, o sumo de limão e o açúcar;
  4. Bater as natas;
  5. Derreter a gelatina, escorrendo a água e levando ao microondas entre 10 a 20 segundos;
  6. Juntar a gelatina à mistura dos morangos e champanhe e finalmente envolver bem com as natas;
  7. Deitar o preparado anterior no centro dos palitos La Reine e levar ao congelador pelo menos 4h;
  8. Tirar a charlotte do congelador e decorar a gosto.

(fonte: https://www.vaqueiro.pt/receitas/detalhe/124/coelho-a-camponesa-de-palmela,

https://www.publico.pt/2014/09/13/sociedade/entrevista/comer-a-mesa-e-um-acto-de-intimidade-1669486,

https://invvad.wordpress.com/tag/filipa-gomes/?fbclid=IwAR1Y9cVU-FH7mKT7_VVvW_MYvXOxUbBCpmAlWAelL3tcb690jRKw9PhkNMU)